Carta para um futuro amor

17.1.22

 

Imagem sob licença Creative Commons por Monfocus

Oi,


Ainda não sei o seu nome, se você é alguém do meu passado, presente ou futuro distante. Não sei sua idade, seus gostos, seus hobbies ou até mesmo se rimos no nosso primeiro encontro.


É estranho escrever uma carta para um desconhecido que algum dia se tornará um conhecido, mais que conhecido na realidade, alguém que foi capaz de encher meu coração de amor novamente.


Por isso quero que você saiba, futuro amor, que amar é muito mais complicado do que parece. Que essa coisa de amor à primeira vista não existe, isso é paixão à primeira vista. O amor a gente constrói no dia-a-dia, ele está nas pequenas coisas, nos pequenos gestos.


Em um beijo, abraço, em um bom dia. Ele está escondido naquele sorriso quando eu volto do trabalho e ao cumprimentar-te com carinho. Ele está presente nas danças loucas, nas risadas, no cozinhar juntos ou simplesmente quando estamos deitados na cama assistindo um filme agarradinhos.


O amor está presente naqueles momentos compartilhados, em uma caminhada de mãos dadas, em saber o que o outro está pensando só de olhar. Está presente no abraço depois de uma briga, porque você quer que aquilo realmente funcione e que tudo fique bem.


O amor está no conversar, mas não só a prosinha boa, mas nas conversas sobre a relação, sobre em como nós nos sentimos um com o outro. O amor está na sinceridade, em poder dizer sem medo o que está acontecendo dentro de si, porque somos seres em constante metamorfose e tentar entender o outro é o que nos faz crescer juntos.


O amor está no apoiar, em acreditar nos sonhos do outro e estar ali presente quando acontecer uma derrota. É incentivar quando o outro não está bem, mas também é saber respeitar o espaço de alguém que quer ficar um tempo sozinho para recuperar as energias.


O amor está presente nos planos de fim de semana, no acompanhar o outro para fazer uma coisas simples, em percorrer a cidade juntos se necessário e quando necessário. O amor está no estar presente nos momentos importantes, no ajudar, no querer estar ali.


A paixão é diferente, com o tempo ela vai diminuindo e aquela imagem de um ser idealizado se esvai, mostrando o quão humano somos, dando espaço para que o amor apareça mesmo com os defeitos do outro. Porque o amor é isso, ver aqueles pequenos defeitos e ainda querer estar ali para construir algo novo, porque ninguém é 100% perfeito e está tudo bem.


Talvez eu não goste do jeito que você dobre as suas roupas ou de como você cante determinada música, mas são coisas que farão parte de você, que compõem o seu ser e se eu amo todo o resto, não serão pequenas coisas que me farão desistir. Porque as pessoas se apaixonam por algo mais, pelo lado que fez com que quiséssemos compartilhar esse “nós”.


Por isso quero que você entenda que, assim como qualquer pessoa mundana, eu terei dias mais difíceis, onde tudo me irrita ou me deixa triste. Que algumas vezes eu só vou querer estar debaixo dos lençóis comendo um bom sorvete para desestressar. Que eu também tenho os meus problemas internos, externos e do passado como qualquer outra pessoa.


Que às vezes eu só preciso chorar para tirar tudo o que eu sinto de dentro de mim. Que alguns dias eu vou estar toda arrumada e outros completamente descabelada vestindo uma camiseta velha. Também quero que entenda que nem todas as vezes vou querer sair de casa, todos temos tempos mais festeiros e outros de reclusão, e está tudo bem! Porque todos somos seres humanos vivendo em uma constante montanha-russa.

Também quero que você entenda que eu tenho meus princípios e prioridades, assim como você ou qualquer outro, e que você possa aceitar isso. Eu sou a workaholic, a que quer fazer tudo direito e correto, a que nunca vai mentir uma doença para não trabalhar e ir a um lugar, a que vai planejar as férias em um mês que seja melhor tanto para mim quanto para a empresa, a que não se importa em “presentear horas de trabalho”. Eu sou a nerd que vai participar da aula até o fim, que não vai querer perder uma aula sexta-feira à noite para ir à estreia de um filme que pode ser visto depois, eu sou a aluna que vai participar da aula de encerramento mesmo que não seja obrigatório. Porque eu sou assim e me sinto bem assim.


Quero que você saiba que tenho dias mais sociáveis e outros não, que às vezes vou me embananar na hora de fazer um pedido ou aceitar que alguém trouxe o meu prato errado. Que às vezes me gera um pouco de ansiedade ao falar com estranhos, mas outras vezes não.


Quero que você entenda que a escrita é o mais importante para mim e que ninguém, JAMAIS, vai tirar esse meu lado que me acompanha desde muito pequena. E que esse é o meu ponto fraco, onde mais me dói que toquem.


Ao meu ver, amar é isso. Poder estar juntos com tudo aquilo que nos uniu e com tudo aquilo que aprendemos a amar com o tempo, é rir juntos e trabalhar nossas próprias manias e defeitos, é saber respeitar o espaço do outro e entender que não é necessário estar grudado o tempo todo para ser um casal. É poder estar em espaços diferentes da casa, cada um trabalhando no seu próprio crescimento pessoal ou profissional. O amor não é tomar conta das decisões ou tarefas do outro, é poder ensinar algo que o outro não sabe e fazer isso juntos.


Amar é entender a linguagem do amor de cada um e aceitar isso, como quando eu venho dar beijos e abraços, quando agarro no seu braço ao caminhar na rua ou quando quero dormir agarradinha, o toque, o deixar entrar no meu espaço pessoal. E também não se esqueça do fazer coisas, uma comidinha gostosa, um doce, uma cartinha, um presentinho do nada... comemorar datas especiais, o cuidar das suas coisas. Ainda continuo sendo uma romântica que gosta de certas coisas cafonas, uma serenata, um ato de loucura...


O amor não é fingir algo ou ocultar, é poder conversar sobre isso e poder chegar a uma conclusão juntos, porque às vezes, o amor também é deixar ir. Porque a felicidade do outro é a sua felicidade, e se um estiver bem o outro também vai ficar bem.


Outra coisa importante que quero que você entenda é que uma relação nunca deve fazer você se sentir preso, essa não será nunca a minha intenção. Amar é poder sair com seus amigos tranquilo, poder sair sozinho sem nenhum problema, é não ter que dar satisfação de com quem está a todo momento. É poder ter hobbies separados, fazer o que gosta e viver tranquilo sabendo que é isso o que você quer.


No final, amar é isso, ALTERIDADE.


Ver o outro como uma pessoa diferente de si, com desejos, opiniões e um background próprio. Uma pessoa completa que vive em um mundo onde vocês podem interagir, porém cada um com seu próprio mundo interno e ser capaz de aceitar isso, valorizando essas diferenças que existem entre a gente sem qualquer tipo de hierarquia, entendendo que estamos no mesmo patamar humano e que juntos nos fortalecemos. Não é um “sem mim você será nada” ou “sem mim você não conseguirá fazer isso”, é um “sem mim, você continua sendo você. Como sempre foi”.

 

Acredito que é isso, que você possa me aceitar com todas as coisas boas e ruins, da mesma forma que eu espero aceitar você com todas as coisas boas e ruins, porque ninguém é perfeito e no fundo, estamos todos quebrados de alguma forma. Os contos de fadas não existem, as histórias de filmes românticos muitas vezes são mentira e o que resta somos nós, assim, meio loucos tentando sobreviver nesse caos que é a vida.


Beijos do seu futuro amor.


  • Share:

Posts Relacionados

2 comentários

  1. O amor é parceria. É independência e liberdade! Que esse seu amor do futuro chegue por aí no melhor momento dos dois e que vocês sejam muito felizes!

    :)

    Beijooo

    ResponderExcluir
  2. Amiga, sua carta é tão honesta quanto você. Tenho certeza de que seu amor chegará e que será tão maravilhoso quanto você é porque é isso que você mais merece!
    Quando isso acontecer, estarei aqui vibrando muito de tanta felicidade!

    Um beijo,
    Fernanda Rodrigues | contato@algumasobservacoes.com
    Algumas Observações
    Projeto Escrita Criativa

    ResponderExcluir